16 de abril de 2018 às 07h50m
Aplicativos de pagamentos atraem empresários e clientes

Uma alternativa para quem não gosta de andar com dinheiro no bolso é o serviço de aplicativo de celular que permite o pagamento online. Exemplo é o PicPay, uma startup brasileira que o usuário pode fazer e receber pagamentos por meio de qualquer conta bancária

Similar a concorrentes como PayPal, a finteché uma espécie de carteira digital.

O app funciona como uma carteira virtual, em que o usuário insere saldo por meio de transferência bancária ou boleto. O aplicativo pode ser usado em estabelecimentos credenciados ou entre usuários. Para inscrição no aplicativo são solicitados dados como número de Registro Geral, CPF e conta bancária que será movimentada nas transações feitas por meio do app.
É possível emprestar dinheiro ou pagar a dívida com um amigo por tranferência no próprio aplicativo, que disponibiliza um QR Code (código de barras) na tela do celular do receptor.
No plano gratuito, o aplicativo permite transferências de até R$ 800 como forma de coibir o uso indevido ou criminoso do aplicativo. No plano PRO, esse limite imposto pela empresa não existe.
(Foto: Divulgação / PicPay)
No PicPay é possível cadastrar o cartão de crédito do usuário para pagamentos que virão na próxima fatura. Também dá para fazer recargas de celular, cartão de Google Play, pagamento de Uber, compra de créditos de plataformas de games como Steam, Xbox, League of Legends, Level Up, entre outros.
Para os usuários a novidade é atrativa pois permite que pagamentos sejam feito sem estar com dinheiro ou mesmo com cartões de crédito. Paulo César Lima usa o aplicativo há quase um mês. Segundo ele, que é analista de estratégia digital, o que mais agrada é a comodidade de fazer transações de maneira "super rápida". Paulo César ainda diz que o app é "bem seguro".
"Tive uma pequena dúvida alguns dias trás e entrei em contato com eles pelas redes sociais e eles foram bastante atenciosos e solucionaram minha questão em pouco tempo", revela o usuário destacando o atendimento da PicPay.
O aplicativo também permite o saque do saldo que está na "carteira". O valor é transferido para a conta bancária do usuário que foi cadastrada no aplicativo. O saque leva dois dias úteis, mas o prazo pode ser menor que isso.
Para as empresas que usam o PicPay, a plataforma deixa o estabelecimento visível para todos os usuários, que podem realizar o pagamento das compras pelo app. Na hora de receber o dinheiro, o aplicativo deixa livre ao empreendedor a escolha do quanto pagar de taxa relacionando a quantidade de dias que queira receber o pagamento.
Por exemplo, se o empresário quiser sacar o pagamento de uma compra no dia seguinte à compra, a taxa cobrada pelo aplicativo será de 4,89% do valor das vendas realizadas. As taxas são inversamente proporcionais a quantidade de dias. Se o empresário não quiser pagar taxa alguma, o app oferece a opção de pagamento em 80 dias úteis sem nenhuma dedução de valor.
Quem aderiu ao aplicativo foi Maria de Souza. A empresária, dona de uma loja de enxovais para bebês, no Centro de Fortaleza, conta que há um ano e meio usa o PicPay. "O aplicativo ajuda nas vendas, alguns clientes perguntam dessa forma de pagar quando se interessam por um produto. Eu gosto do aplicativo".
Segundo Maria, as compras com dinheiro ainda são maioria, mas o cliente que preferir por serviço online terá a opção do PicPay. "Fazemos vendas por delivery e o pagamento é feito pelo próprio aplicativo à distância", diz a empresária.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001