26 de fevereiro de 2018 às 17h20m
Molon anuncia saída da Rede e Marina corre risco de ficar fora de debates

O deputado Miro Teixeira minimiza os efeitos do anúncio de Alessandro Molon e acredita que, mesmo que o partido não atinja o número mínimo de assentos na Câmara e no Senado, espera-se que Marina seja incluída nos debates “por sua importância”.

O deputado Alessandro Molon (RJ) anunciou nesta 2ª feira (26.fev.2018) a desfiliação da Rede e ida para o PSB. A cerimônia de entrada no novo partido deve ser realizada nesta 3ª (27.fev).

“Cheguei à conclusão de que, em um novo partido, me sentirei mais à vontade para continuar a lutar com firmeza e determinação por tudo o que sempre defendi: a redução das brutais desigualdades de nossa sociedade – a maior chaga brasileira, na minha opinião–, a busca de um desenvolvimento eficiente e sustentável, e uma política feita de forma limpa e transparente”, disse Molon em publicação nas redes sociais.

A saída de Molon pode prejudicar a candidatura de Marina Silva à Presidência. De acordo com a lei eleitoral,  as emissoras de rádio e de televisão são obrigadas a incluir nos debates qualquer candidato de partido com 5 congressistas.

Sem Molon, a Rede fica com 4 representantes no Congresso: o senador Randolfe Rodrigues (AP) e os deputados Aliel Machado (PR), João Derly (RS) e Miro Teixeira (RJ). Especula-se que Aliel Machado também negocia uma troca de partido.

Com 1 número inferior a 5 assentos no Congresso, a Rede não teria a garantia de participação nos debates. Caberia às emissoras a escolha de convidar ou não Marina.

O deputado Miro Teixeira minimiza os efeitos do anúncio de Alessandro Molon e acredita que, mesmo que o partido não atinja o número mínimo de assentos na Câmara e no Senado, espera-se que Marina seja incluída nos debates “por sua importância”.

“Não estamos preocupados com isso. É apenas 1 caminho da lei. O outro é produzido pela política e pela qualidade jornalística de quem se preocupa em fazer o debate. Debate sem Marina será uma farsa”, disse ao Poder360.

Teixeira afirma ainda que permanecerá na Rede e nega que a sigla esteja fazendo uma espécie de corrida para atrair nomes de outras legendas até o fim da janela partidária, período de 7 de março a 7 de abril em que são oficializadas as mudanças partidárias.

“O que estou fazendo é buscar candidaturas, mas minha preocupação não é com debate, mas com o futuro. Não fizemos cooptação de deputados”, afirmou.



Fonte: www.poder360.com.br

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001