12 de fevereiro de 2018 às 07h05m
Reeducação alimentar. Nutricionista, nutrólogo ou endocrinologista?

Os três especialistas têm funções diferentes. Saiba qual profissional é mais adequado para cada perfil

Magro demais” ou “gordo demais”. Os motivos que levam alguém a estar insatisfeito e querer realizar mudanças no próprio corpo vão muito além da falta de dedicação com exercícios físicos ou com alimentação saudável. Para alguns, a procura de profissionais é necessária devido a distúrbios, restrições alimentares, problemas hormonais e doenças como hipertensão e diabetes. Nutricionista, nutrólogo e endocrinologista, ainda que possam trabalhar juntos, têm diferenças na atuação e na formação profissional.

De acordo com a professora de nutrição da Universidade Federal do Ceará Daniela Vasconcelos, nutricionistas prescrevem dietas, mas caso desconfiem de alguma patologia não têm propriedade para dar diagnóstico clínico. Ela ressalta que o profissional formado em nutrição não pode receitar remédios, estando essa função com nutrólogos ou endocrinologistas, ambos formados em medicina. “O nutricionista trabalha principalmente com o alimento, nossa fonte é o alimento”, explica. 

“A nutrologia é uma área da medicina que trabalha com as doenças que têm caráter nutricional”, diz o nutrólogo Paulo Vasconcelos. Esses profissionais, que têm formação em medicina e residência ou especialização em nutrologia, investigam os efeitos causados pela ingestão de nutrientes no organismo humano. Isso significa que eles podem diagnosticar e tratar doenças nutricionais e neurometabólicas, como hipertensão, diabetes e dislipidemias. Enquanto nutricionistas tratam com alimentos, a medicação é o foco do nutrólogo.

O endocrinologista trabalha, sobretudo, com alterações hormonais. É também um profissional formado em medicina, e atua em áreas como reposição hormonal da menopausa, obesidade, crescimento, excesso de pelos, distúrbios da puberdade e diabetes. Algumas disfunções hormonais podem ocasionar mudanças no corpo. Assim, quem não consegue alterar de peso com reeducação alimentar deve procurar ajuda para investigar a origem do problema.

“Me ajudou na atividade física, na energia do dia a dia, no humor e até na imunidade. Minha qualidade de vida melhorou muito”, conta a estudante Luma Tavares, 19, que frequenta nutricionista há três anos e pensa em ir para um endocrinologista.  

A professora Daniela Vasconcelos acredita que, em alguns casos, a atuação conjunta dos três profissionais pode ser benéfica para a saúde do paciente. “O importante é cada um reconhecer suas responsabilidades técnicas, ver limites. Fica até mais prático, cada um fazendo a sua parte”, diz. 

QUAL PROFISSIONAL DEVO ESCOLHER?

 

NUTRICIONISTA

FORMAÇÃO: Graduado em nutrição

IDEAL PARA: Quem busca uma reeducação alimentar ou precisa de uma dieta que adapte restrições alimentares, como vegetarianismo, intolerância à lactose ou ao glúten. Pode ajudar quem quer ganhar massa muscular e perder peso ou gordura.

O QUE PODE FAZER: Prescrever dietas, prescrever suplementos alimentares que não exijam prescrição médica, solicitar exames e dar diagnóstico nutricional.

ONDE CONSEGUIR ATENDIMENTO: Clínicas particulares, plano de saúde, alguns hospitais públicos e particulares e pelo SUS em unidades com Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) 

 

NUTRÓLOGO 

 

FORMAÇÃO: Graduação em medicina com residência ou especialização em nutrologia

IDEAL PARA: Quem quer diagnosticar ou tratar doenças nutricionais, como hipertensão, diabetes e dislipidemias (colesterol anormalmente elevado ou gordura no sangue). Também atua no tratamento de obesidade, anorexia, bulimia, com nutrição esportiva em atletas, preventiva e na terceira idade.

O QUE PODE FAZER: Tratamento nutricional e medicamentoso. Pode dar diagnóstico clínico e solicitar exames laboratoriais, além de prescrever suplementos alimentares.

ONDE CONSEGUIR ATENDIMENTO: Clínicas particulares, planos de saúde, hospitais particulares e públicos. 

 

ENDOCRINOLOGISTA 

 

Formação: Graduação em medicina com residência em endocrinologia

IDEAL PARA: Quem procura ajuda nas áreas de reposição hormonal da menopausa, obesidade, crescimento, excesso de pelos, doenças da glândula Supra-Renal, distúrbios da puberdade, distúrbios da menstruação, doenças da hipófise, diabetes, osteoporose, andropausa e tireóide

O QUE PODE FAZER: É autorizado a medicar e solicitar exames quando necessário. Pode dar diagnóstico clínico e prescrever hormônios.

ONDE CONSEGUIR ATENDIMENTO: Clínicas particulares, planos de saúde, hospitais particulares e públicos.

 


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001