18 de janeiro de 2018
19º Festival Jazz & Blues divulga programação de Guaramiranga e Fortaleza

O 19º Festival Jazz & Blues no próximo mês de fevereiro, com programação de 10 a 13 em Guaramiranga e nos dias 15 e 16 em Fortaleza.

19º Festival Jazz & Blues
Crédito: Logomarca2017

Dori Caymmi, Filipe Catto, Juarez Moreira, Arismar do Espírito Santo e o cearense Macaúba do Bandolim estão entre as atrações desta edição, que acontece de 10 a 13/02 em Guaramiranga e nos dias 15 e 16 em Fortaleza – Ceará. Do jazz ao blues, passando pelo choro, o forró, a valsa, o mambo… Música do Brasil e universal. Ritmos diversos, arranjos autorais ou ricos improvisos que transformam tudo em um grande encontro da música nos palcos do Festival Jazz & Blues. A 19ª edição acontece de 10 a 13 de fevereiro em Guaramiranga, na região serrana do Ceará, dá uma pausa na Quarta-Feira de Cinzas, e segue com mais programação nos dias 15 e 16 em Fortaleza. Com apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, o Festival Jazz e Blues 2018 é uma realização é do Ministério da Cultura e da Via de Comunicação.

Para os dias de Festival na serra, a Cidade Jazz & Blues será erguida na rua principal de Guaramiranga, a cerca de 600 metros da Praça do Teatro Rachel de Queiroz. O local abrigará os Shows ao Pôr do Sol, os espetáculos das 21h, as Jam Sessions, além dos Ensaios Abertos à tarde e as atividades musicais pela manhã, destinadas às crianças. Em Fortaleza três espaços vão receber a programação. No Cineteatro São Luiz acontecerão shows nos dias 15 e 16, às 19 horas. No Centro Cultural Banco do Nordeste haverá oficina de gaita no dia 15 às 17h e show às 18h30 e, para fechar esta edição, o Theatro José de Alencar será palco da Festa de Encerramento no dia 16 às 20h30, com direito a dois grandes shows.

Homenageado: Macaúba do Bandolim

Um verdadeiro mestre da cultura musical do Ceará e do Brasil, José Felipe da Silva, o Macaúba, ganha uma homenagem reconhecimento à sua história de virtuosismo no bandolim e à sua inestimável contribuição a várias gerações. São 65 anos de dedicação ao instrumento, que aprendeu a tocar sozinho ainda criança e hoje transcende a própria música, sendo reconhecido como um verdadeiro personagem da Fortaleza do passado e do presente, das coisas e dos costumes da vida boêmia e da grande arte do choro. Neste show será acompanhado por seu filho Marinaldo (também um virtuoso do bandolim), Ribamar Freire (nome histórico do violão de 7 cordas) e Fernando (pandeiro), todos grandes nomes da cena do choro no Ceará. Será no dia 11, na sessão das 17 horas.

Shows nas duas cidades

Grandes shows desta edição vão acontecer em Guaramiranga e depois em Fortaleza. A voz grave, as composições inspiradíssimas, os arranjos elaborados e a notável sensibilidade de um dos maiores mestres da música brasileira aportam no Festival este ano. Dori Caymmi destaca a autenticidade da beleza melódica da voz do pai, Dorival Caymmi, a quem se refere o título do novo álbum, “Voz de Mágoa”. No show, que acontece no dia 12 em Guaramiranga e 15 em Fortaleza, ele apresenta sua forma única de tocar violão com afinações pouco convencionais e harmonias criativas. Tudo ao lado dos virtuosos Itamar Assiere (piano), Jefferson Lescowich (contrabaixo) e Ricardo Costa (bateria).

O cantor e compositor gaúcho Filipe Catto, uma das maiores vozes que surgiu na música brasileira nos últimos 30 anos, e o pianista, cantor e compositor Adriano Grineberg, uma das principais referências do blues no Brasil, sobem juntos ao palco do Festival em Guaramiranga no dia 13 e em Fortaleza no dia 16. Estas são as últimas apresentações do projeto “Blues for Africa”, lançado em 2013 por Grineberg, já responsável por apresentações antológicas ao longo da história do evento.

“Explosion Blues” é o resultado do encontro de duas grandes referências do gênero no Brasil, o cantor e guitarrista mineiro Gustavo Andrade e o gaitista carioca Jefferson Gonçalves, um dos nomes mais destacados na história do Festival Jazz & Blues. O álbum da dupla é fruto de um trabalho musical de mais de 25 anos, que chega à 19ª edição do Festival com um show alto astral e contagiante, repleto de clássicos do blues, country-blues, folk e funk-blues, também com Fabio Mesquita (baixo) e Andre Obermuller (bateria). Eles se apresentam no dia 13 na serra e no dia 15 no Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza, onde Jefferson Gonçalves ministra também oficina de gaita.

O piano do cubano Néstor Lambida, o sax e a flauta do mineiro Marcelo Padre, estes dois viajados e experientes músicos que formam o Duo Estro Cuba, se unem à voz e ao violão do compositor e cantor cearense Davi Duarte, autor e intérprete dos mais respeitados na música do Ceará desde a década de 90, e ao músico Nilton Fiore, carioca radicado há muitos anos em Fortaleza, percussionista de grande talento e sensibilidade. Na cidade serrana o show será no dia 11 e em Fortaleza no dia 16.

Para ressaltar toda a qualidade da produção bluseira da Região, o Festival apresenta em Guaramiranga, na Jam Session do dia 12, e em Fortaleza no dia 16 o show “Blues do Nordeste”, reunindo quatro virtuosos guitarristas, representantes dessa efervescente produção musical: André de Sousa (Piauí), Gustavo Cocentino (Rio Grande do Norte), Roberto Lessa (Ceará) e Rodrigo Morcego (Pernambuco). Cada um deles, um expoente em seu Estado e um frontman por natureza, unindo forças em um novo espetáculo, marcado pela intensidade e pela forma brasileira de vivenciar o blues. Com os quatro guitarristas, Victor Fontenele (contrabaixo) e Marcelo Holanda (bateria) se alternam no palco em duplas para, na segunda metade do concerto, se reunirem em um quarteto de guitarristas, com muita energia, improvisação e interação com o público.

Mais atrações nos palcos de Guaramiranga

Waldonys com Big Band Unifor (CE) – Referência nacional do acordeon, aprendiz do Rei do Baião Luiz Gonzaga, artista incansável na missão de provar possível a união entre música popular e qualidade musical, o cearense Waldonys apresenta um espetáculo inédito e diferenciado. Sua voz e sua sanfona serão ladeadas pelos instrumentistas da Big Band Unifor, regida pelo maestro Robson Lima. Uma união entre as cores nordestinas e comunicativas da musicalidade de Waldonys e as múltiplas possibilidades dos arranjos de metais na escola do jazz das big bands, seguida e recriada pelo grupo mantido pela Universidade de Fortaleza. O show acontece no dia 10 em Guaramiranga.

Juarez Moreira (MG) – Um poeta do violão, dono de uma escola própria e de refinadas e pessoalíssimas composições, o mineiro Juarez Moreira se iniciou no instrumento aos 12 anos e cedo foi considerado um dos maiores violonistas do Brasil. Aclamado pela crítica internacional, teve reconhecimento de grandes artistas brasileiros, como Milton Nascimento e Toninho Horta, que gravou a canção “Diamantina”, de autoria de Juarez, em 1988. Ivan Lins, Maria Bethânia e Gal Costa são outros artistas que com ele dividiram palcos e estúdios. Ansiosamente aguardada, sua presença no Festival Jazz & Blues, no dia 10, ao lado do cearense Jorge Helder (contrabaixo), de Joatan Nascimento (trompete) e Kiko Freitas (bateria), torna ainda mais especial esta edição, para privilégio do público.

Arismar do Espírito Santo (SP) – Show “Roda Gingante” – No que promete ser um dos mais marcantes encontros desta edição, o Festival Jazz & Blues promove no palco a reunião de quatro grandes instrumentistas, de diferentes estados, bagagens e trajetórias, mas com fortes pontos em comum: o amor pela música, o virtuosismo e a sensibilidade, a dedicação à música instrumental, com grandes contribuições à cena brasileira. São eles, o multiinstrumentista paulista Arismar do Espírito Santo, com o brasiliense Gabriel Grossi, que redefiniu a estética da gaita no Brasil, o acordeonista gaúcho Bebê Kramer e o cearense Cainã Cavalcante (violonista e guitarrista). Mais que um mestre, Arismar é considerado uma verdadeira escola da música do Brasil e do mundo. No show “Roda Gingante”, que será no dia 11, Arismar parte do repertório deste disco em que reúne uma orquestra imaginária, através dos timbres da gaita de boca, do acordeon, da guitarra, do baixo e do violão de 7 cordas.

Filó Machado Trio (SP) – Um dos mais aclamados cantores e violonistas do País, capaz de sintetizar as melhores características da música brasileira entre a riqueza harmônica de sua mão esquerda e o ritmo arrebatador da mão direita, Filó Machado faz no dia 12 sua estreia no Festival Jazz & Blues, como uma das grandes atrações da programação em 2018. Releituras do jazz e da música instrumental nacional, composições próprias e de outros grandes nomes da música nacional estarão no repertório do Filó Machado Trio, que reúne o jovem, talentoso e carismático cantor e violonista Felipe Machado, neto de Filó, e o virtuoso pianista e arranjador Fabio Leandro.

Trio Guará (CE) – Formado por Denny Almeida (violão), William Madeiro (guitarra) e Juan Madeiro (acordeon), três músicos de Guaramiranga, o Trio Guará tem um repertório inspirado em grandes nomes da música brasileira, como João Gilberto, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Ary Barroso, Cartola, Noel Rosa e Gonzaguinha. No palco, oferece uma mistura fina de bossa nova, samba, choro com um toque de flamenco. Os músicos mostram um equilíbrio ideal entre versões exclusivas de grandes criações clássicas e originais brasileiras. No dia 10, o trio abre a programação de shows do Festival, com a participação do baterista Rafael Teixeira e a cantora Soraia Novaes.

Netinho de Sá, Robertinho Marçal e Lu D´Sosa (CE) – Três grandes instrumentistas cearenses se reuniram neste show, especialmente para o Festival Jazz & Blues. “Nunca tem fim” é o nome do espetáculo que une as bagagens, os saberes e fazeres musicais de Lu D´Sosa (guitarrista virtuoso, de influências jazzísticas, roqueiras e brasileiras), Netinho de Sá (contrabaixista reconhecido pelo suingue e pela criatividade) e Robertinho Marçal, baterista que também conta com grande trajetória na música do Ceará e que mais recentemente vem correndo o Brasil na banda de Raimundo Fagner. Nesse espetáculo, no dia 12, os músicos viajam do afrobeat ao reggae, do fusion ao funk. Tudo concretizado em composições de Lu D´Sosa e arranjos especialmente concebidas para o Festival. De quebra, uma releitura para “Puccini”, do mestre John Patitucci.

Rebeca Câmara, Natanael Pereira e Igor Ribeiro (CE) – Um encontro entre três representantes jovens, mas já de considerável bagagem na cena musica cearense, para recriar com sotaque próprio clássicos da música instrumental brasileira. Assim é o show que a violonista, cantora e compositora Rebeca Câmara, o gaitista Natanael Pereira e o percussionista Igor Ribeiro apresentam no dia 13. Montado há dois anos por Rabeca e Natanael, que convidaram Igor Ribeiro para se somar à formação, o espetáculo tem um repertório brasileiro e diversificado, visando contemplar tanto o público já habituado à música brasileira de harmonias mais elaboradas quanto quem deseja conhecer mais sobre esse universo musical, surpreendendo-se com novidades no Festival.

Marília Lima (CE) – Desde a segunda metade dos anos 2000, Fortaleza vem revelando uma nova geração de cantoras de blues e black music. Uma das mais marcantes, com trajetória destacada, público consolidado e participação bem-sucedida em diversos projetos, é Marília Lima. No Festival ela apresenta o show “Rosa Negra”, na Jam Session do dia 10, inspirado em grandes divas da música universal, como Dalva de Oliveira, Etta James, Maysa, Aretha Franklin, Janis Joplin, Núbia Lafayette, Ella Fitzgerald, Amy Winehouse e Nina Simone. Com ela, Leonardo Vasconcelos (piano e teclado), Débora Marciel (guitarra), Romualdo Filho (baixo) e Marcelo Holanda (bateria).

Rafael Balboa (CE) – Tributo a Eric Clapton – Cantor e guitarrista de grande destaque na cena blueseira cearense, Rafael Balboa, autor do disco “Birth” (2016), apresenta um tributo a um mestre do blues e do rock no mundo: o guitarrista, cantor e compositor inglês Eric Clapton, um dos músicos mais influentes de todos os tempos e um dos que melhor souberam assimilar a herança da música negra norte-americana, reinventando-a para criar uma personalidade musical própria, capaz de cativar gerações e gerações de ouvintes. O show, na Jam Session do dia 11, terá uma seleção especialíssima da obra de Clapton, incluindo músicas de seus discos mais recentes, como “Reptile” e “I Still Do”. Tudo preparado por Rafael Balboa especialmente para o público do Festival Jazz & Blues, em um espetáculo inédito e imperdível.

Divas do Blues (CE) – As mulheres assumem a linha de frente também neste show, que encerra a programação do Festival Jazz & Blues 2018 na serra, na Jam Session do dia 13. “Divas do Blues” é o espetáculo que reúne três das mais aplaudidas intérpretes da cena blues cearense: Marília Lima, Raíssa Dantas e Fernanda Fialho, em uma grande homenagem à presença das mulheres na história deste gênero musical, ressaltando as várias intérpretes que fizeram fama cantando blues. De Etta James (1938-2012) a Janis Joplin (1943–1970). Elas cantam ao lado de Débora Marciel (guitarra), Leonardo Vasconcelos (teclado), Romualdo Filho (contabaixo) e Ricardo Pinheiro (bateria).

Café no Tom

Pela manhã, nos dias de seus respectivos shows, Juarez Moreira, Davi Duarte, Filó Machado e os músicos Gustavo Andrade e Jefferson Gonçalves têm um encontro com o público às 11 horas no restaurante Basílico, na Praça do Teatro Rachel de Queiroz, para o Café no Tom, um descontraído bate-papo sobre suas carreiras e músicas.

Workshops na serra

Dois workshops serão ministrados na sede da AGUA – Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga sempre às 11h. No domingo, dia 11, a oficina é de sopros com Marcelo Padre, do Duo Estro Cuba. Na segunda-feira, é a vez do guitarrista Lu D’Sosa passar um pouco de sua experiência musical.

Espaço Dó Ré Mi

Uma programação especial foi criada para o público infantil do Festival. O Espaço Do Ré Mi, na Cidade Jazz & Blues, vai oferecer oficinas de musicalização ministradas pelos professores Amanda Montenegro e Diego Gomes, da escola de música BSB Musical Fortaleza. A atividade acontecerá das 9h30 às 10h30 nos dias 11, 12 e 13, respectivamente com aulas de prática de canto, percussão/expressão corporal através de dinâmicas rítmicas e, no último dia, atividades de ritmo com apoio de instrumentos percussivos (canos sonoros) e uma dinâmica de grupo. As atividades, destinadas a crianças de 6 a 10 anos, têm o objetivo de proporcionar a comunicação e a expressão através da música.

Apresentado pelo Ministério da Cultura, com Apoio Institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará e Prefeitura Municipal de Guaramiranga, o 19° Festival Jazz & Blues tem como patrocinadores: Hipercor, Nacional Gás e BNB. Apoio cultural: Cineteatro São Luiz, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Theatro José de Alencar, Indaiá, Café Santa Clara Reserva da Família, CAGECE, Dakota, Casa Pio, Mercadinhos São Luiz. Agradecimentos: ENEL e Coca-Cola. Promoção: Diário do Nordeste. Realização: Ministério da Cultura e Via de Comunicação.

Serviço

19° Festival Jazz & Blues – De 10 a 13 de fevereiro de 2018 em Guaramiranga e nos dias 15 e 16 em Fortaleza. Informações: (85) 3262.7230. Site: www.jazzeblues.com.br. Instagram: @festivaljazzeblues. Facebook: Festival Jazz & Blues (CE). Ingressos para os shows das 21h em Guaramiranga à venda na Bilheteria Virtual (www.bilheteriavirtual.com.br). R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia). O restante da programação em Guaramiranga tem acesso gratuito. Em breve informações sobre venda de ingressos para os shows em Fortaleza.


Fonte: Núcleo de comunicação do governo do Estado do Ceará

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001