31 de dezembro de 2017 às 06h39m
Eunício Oliveira destaca redução de juros para Nordeste

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), destacou a mudança nos financiamentos com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, que, a partir de janeiro de 2018, terão descontos que variam de 37% a 68,5% sobre os juros reais em operações de longo prazo, em relação às taxas para operações de crédito praticadas no restante do país

Ele, inclusive, lembrou que foi um “defensor e articulador da redução”.

“Precisamos movimentar a economia, gerar emprego e renda para a população. Há recursos nos fundos constitucionais que podem financiar novos empreendimentos, mas as taxas de juros não eram atrativas. Por isso, vínhamos lutando pela redução dos encargos financeiros de modo a incentivar mais investimentos, e agora obtivemos êxito. Uma vitória importante em benefício da população”, declarou Eunício.

Em agosto, a medida provisória foi negociada entre o governo e o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Na ocasião, o peemedebista afirmou que a mudança na taxa de juros dos fundos constitucionais será uma “conquista” para as regiões menos desenvolvidas, dando caráter permanente à política de combate às desigualdades no País.

Redução
Com as novas regras, as alíquotas que incidem sobre o financiamento de operações de crédito com recursos do FNE, do FNO e do FCO partem de 4,71% a.a., dependendo da finalidade e porte do empreendimento, já incluindo o bônus de adimplência. Antes, a menor taxa era de 6.50% a.a., para projetos de até R$ 200 mil na área de inovação.
A redução será aplicada em todas as linhas de financiamento, nas mais variadas atividades de negócio e porte das empresas. Outro exemplo está nos casos de financiamento de projetos de qualquer valor, nas áreas de infraestrutura de água e esgoto e logística. Enquanto que, nas regras atuais, a taxa cheia é de 10,14%, as novas regras a reduziram para 5,36%.

E ainda


Importante ressaltar que, embora a taxa de juros final sofra variações mensais segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo (IPCA), o juro real será fixado na data da contratação. Portanto, os dados apresentados acima são simulações de acordo com a expectativa de mercado apresento pelo Boletim Focus, do Banco Central, divulgado no dia em 22 de dezembro.

Comando


O anúncio da redução de juros do FNE foi realizado, na última quarta-feira (27), pelo novo presidente do Banco do Nordeste (BNB), Romildo Carneiro Rolim. A Medida Provisória (MP) n.º 812, de 27 de dezembro de 2017, publicada no Diário Oficial, entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2018, quando passa a reger os encargos financeiros incidentes sobre os financiamentos não rurais.
Conforme o caderno de Economia do jornal O Estado ressaltou, na edição de ontem, os clientes adimplentes do banco, que administra o FNE, continuarão recebendo a bonificação de 15% de desconto incidente sobre a parcela prefixada da Taxa de Longo Prazo (TLP), nos financiamentos pagos em dia. E o volume disponível para a área de atuação do BNB é de R$ 27 bilhões. “Trata-se de uma conquista para o Banco do Nordeste e para todos que desejem empreender na região. A MP fortalece o FNE como um dos principais instrumentos de combate às desigualdades regionais no País. Com a MP, o FNE passa, de forma permanente, a oferecer condições diferenciadas de financiamento para a Região Nordeste”, afirmou Romildo Rolim.

Ceará


O Ceará terá pelo menos R$ 2, 2 bilhões para financiamentos de não-infraestrutura e a região disporá de R$ 9 bilhões para os de infraestrutura, sendo que neste caso, o valor vai para os primeiros projetos que forem apresentados. De acordo com o novo presidente do BNB, tais recursos poderão ser usados em obras importantes como a reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, do hub da Air France/KLM/Gol e na instalação de novas empresas no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. “Inclusive, já tivemos reuniões aqui e em São Paulo, com representantes da Fraport, que vai assumir a concessão do nosso aeroporto, mas ainda não há uma definição se vão usar recursos próprios, ou solicitar crédito conosco”, completou Romildo Rolim.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001