31 de julho de 2017 às 07h54m
Implacável, Vettel vence na Hungria e amplia vantagem

Sebastian Vettel venceu o Grande Prêmio da Hungria, disputado na manhã de ontem. O triunfo do alemão em Budapeste contou com importante jogo de equipe

Seu companheiro Kimi Raikkonen, 2º colocado, segurou os ataques de Bottas e Hamilton ao longo da corrida. Na tentativa de impedir a dobradinha da Ferrari, a Mercedes ordenou que Bottas deixasse Hamilton ultrapassar.

A ultrapassagem aconteceu na volta 47 (de 70 no total), a ideia era que o inglês atacasse as Ferraris de Vettel e Raikkonen. A promessa feita pela Mercedes era de que Hamilton devolveria a posição em 5 voltas caso não conseguisse ultrapassar os rivais. O inglês se aproximou das Ferraris. Na reta final, Hamilton devolveu a posição para o finlandês. Bottas foi o terceiro, com Hamilton em quarto. Com essa vitória, Vettel amplia sua vantagem no Mundial de Pilotos. Ele lidera com 202 pontos, contra 188 pontos de Hamilton, segundo colocado.

Massa fora


Vetado para o GP em Budapeste, Felipe Massa foi liberado para assistir à corrida de casa. Com o filho Felipinho, o piloto da Williams comentou: “Descasando e me recuperando para a próxima corrida em boa companhia!”, escreveu Massa nas redes sociais. Nos treinos para o GP húngaro, Massa relatou sentir tonturas. Por essa razão, a Williams decidiu substituir Massa por Paul di Resta. O brasileiro retorna para o GP da Bélgica, em agosto.

A prova


Pole position, Vettel fez uma largada segura, amparado pelo companheiro Kimi Raikkonen, segundo no grid. Hamilton largou em quarto, mas começou mal a corrida: foi ultrapassado por Verstappen, caindo para a quinta posição. Uma lambança de Verstappen na volta inicial tirou o companheiro de equipe da corrida. O jovem holandês perdeu o controle do carro na curva e atingiu Daniel Ricciardo. O australiano seguiu andando em direção aos boxes revoltado com o erro de Verstappen. Já a direção da corrida aplicou punição de 10 segundos a Verstappen.

À imprensa, Ricciardo disparou: “Vamos ver se ele [Verstappen] vai agir como alguém da idade que ele tem ou se ele vai agir como homem e admitir o erro”. A 30 voltas para o fim, Vettel e Raikkonen começaram a relatar problemas nas Ferraris. Os dois estavam atrás de Verstappen, mas o holandês tinha uma parada a menos, e ainda 10 segundos a cumprir de punição. Pelo rádio, Vettel reclamou do volante e de instabilidade na dianteira: “Estou em linha reta, mas está puxando para a direita”.

Inversão


Raikkonen dizia: “Estou andando máximo que posso, mas as Mercedes estão chegando”. A Mercedes, pelo rádio, orientou seus pilotos sobre os problemas enfrentados por Vettel. Vendo que Vettel tinha problemas e tinha um ritmo lento, sendo inclusive pressionado pelo companheiro Raikkonen, a Mercedes ordenou a inversão de posições para liberar Hamilton para atacar a dupla ferrarista. Hamilton ultrapassou Bottas na volta 47.
Como consolo a Bottas, a Mercedes avisou na volta 52: ‘Se o Hamilton não conseguir ultrapassar as Ferraris em cinco voltas, ele devolverá a vaga a você”. Mas Hamilton se aproximou das duas Ferraris e ameaçava não devolver a vaga ao finlandês, pois Bottas já estava distante. Mas a metros do fim o inglês cumpriu o pedido da Mercedes.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001