31 de maio de 2017 às 07h45m
Parque do Cocó: regulamentação será assinada dia 4 de junho

Na véspera do Dia Mundial do Meio Ambiente quem vai ganhar presente é Fortaleza. E claro, a Natureza, também.

Finalmente, em 4 de junho, o governador Camilo Santana assina o decreto de regulamentação do Parque do Cocó, há décadas, um anseio da população cearense, especialmente dos fortalezenses.
A data escolhida para, definitivamente, decretar a delimitação e, por consequência, uma maior proteção ao equipamento não foi à toa, pois o período marca as comemorações da Semana Nacional do Meio Ambiente (1 a 5 de junho). O titular da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema), Artur Bruno, destacou para a nossa reportagem sobre a importância da regulamentação. Desde o início estado Verde acompanha as discussões em torno do tema.

Nosso benefício


“Efetivamente, a floresta do Cocó existe de fato, mas não de direito, porque nunca foi regulamentada, a partir da assinatura, será de fato um parque com delimitações, evitando que sua área seja diminuída, já que as pessoas vão construindo prédios, erguendo moradias populares. Nós vamos ganhar um parque para preservar um rio que se estende por toda Fortaleza, uma floresta belíssima, além de outros tantos equipamentos”, explica.


A demora em assinar o decreto – o que resultou datas postergadas e inúmeros adiamentos –, segundo o governador Camilo, se deu por conta das infindáveis questões jurídicas que envolvem o parque. “Temos de fazer as coisas com muita calma, responsabilidade e com segurança para que não venhamos a sofrer futuramente com disputas judiciais. É por isso que as coisas demoram um pouco mais, queremos tudo feito de maneira correta”, afirmou Santana, durante evento realizado no último dia 17, no Anfiteatro do Parque do Cocó.


“O projeto só tem a beneficiar a todos nós, a população de Fortaleza luta desde 1977, ou seja, há 40 anos, para ter um parque de verdade. Vários foram os governantes que tentaram pôr isso em prática, e Camilo Santana deu prioridade total ao parque. Antigamente, tínhamos o Parque Adahil Barreto, mas era bem pequeno, apenas 10 hectares, então o povo sentia a necessidade de algo maior, justamente onde fica a floresta do Cocó”, detalha Bruno.

O parque


Com a regulamentação que está por vir, o Parque do Cocó terá uma dimensão total de 1.571 hectares, de acordo com Artur Bruno. O espaço ganhou toda essa amplitude porque, segundo a última poligonal definida e aprovada pelo governo, foi incorporada ao parque uma nova área que inicia na BR-116 e se estende até o Quarto Anel Viário.
O Parque do Cocó está totalmente ativo, revitalizado e aberto ao público, em vigor com vários projetos de incentivo à visitação e usufruto por parte da população. Diariamente, estudantes de escolas públicas e particulares visitam o parque para aprender mais sobre a fauna e a flora, outros buscam a tranquilidade do espaço para se exercitarem, meditarem, organizarem piqueniques ou mesmo contemplarem a natureza. Aos domingos, o projeto “Viva o Parque” leva aulas de dança, contação de histórias infantis, práticas de arborismo, passeios de barco, entre outras tantas atividades.

Sema: Programa Agente Voluntário Ambiental


Foi lançado oficialmente, na última quarta-feira, no Cine Cocó, pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema), o Programa Agente Voluntário Ambiental (AVA), equipamento do Parque Estadual do Cocó. O programa é pioneiro na região nordeste, que promove, incentiva e valoriza o voluntariado nas Unidades de Conservação (UCs) do Ceará.


Nesta edição, foram selecionados 10 agentes voluntários que desenvolverão atividades de manejo, gestão e proteção nas seguintes UCs: Parque do Cocó (Fortaleza), Parque Botânico (Caucaia), Estação Ecológica do Pecém, Sítio Fundão (Crato), Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra de Baturité e APA


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001