24 de março de 2017 às 16h40m
Carros usados: veja o melhor ano para os mais buscados em sites

Veja lista com veículos que possuem de 4 a 8 anos de uso e dicas para escolher o melhor ano. Questões como mudança de geração e obrigatoriedade de ABS e airbag fazem diferença.

Depois de o G1 listar o melhor ano para a compra dos carros seminovos(com até 3 anos de uso) mais buscados nos sites de classificados, chegou a hora de dar dicas sobre usados com 4 a 8 anos de "idade". São os modelos 2009 a 2013.

Com base nos dados dos 3 principais sites de anúncios de veículos do país (Mercado Livre, OLX e Webmotors), foram selecionados 10 modelos que aparecem entre os mais procurados nessas plataformas. Os valores são da Tabela Fipe, utilizando o mês de março como referência.

Veja abaixo as dicas para acertar na escolha de cada um desses modelos de 2009 a 2013. Mudança de geração e a inclusão de airbag e freios ABS devem ser levadas em conta.

Volkswagen Gol

Para o Gol, o melhor ano é 2013 (Foto: Divulgação) Para o Gol, o melhor ano é 2013 (Foto: Divulgação)

Para o Gol, o melhor ano é 2013 (Foto: Divulgação)

A legislação do Brasil passou a exigir freios ABS e airbags dianteiros em todos os carros novos a partir de 2014. Antes disso, apenas alguns modelos -geralmente, em configurações mais caras- tinham tais equipamentos.

No caso do Gol, isso vale para o modelo 2013 nas versões 1.6. Ela é a mais indicada, não só por ser mais segura do que as mais antigas, mas também por ter recebido uma mudança visual. E custa, segundo a Fipe, R$ 29.075, ou 8,2% a mais do que os R$ 26.881 de uma equivalente modelo 2012.

Em versões mais baratas, como a 1.0, nem em 2013 havia opção de airbag e ABS. A novidade naquele ano/modelo foi a adoção dos vidros elétricos de série. Nos preços, os R$ 23.868 do Gol 1.0 2013 representam 8,2% mais do que os R$ 22.060 de um similar 2012.

 

Se o orçamento for menor, a opção é levar para casa uma unidade 2009, de R$ 18.572. Ela é mais antiga, tem menos equipamentos, mas o preço é consideravelmente mais baixo.

Fiat Palio

Fiat Palio tem boa opção no modelo 2011 (Foto: Divulgação) Fiat Palio tem boa opção no modelo 2011 (Foto: Divulgação)

Fiat Palio tem boa opção no modelo 2011 (Foto: Divulgação)

A segunda geração do Palio chegou em 2011 (como modelo 2012), trazendo muitas melhorias no hatch. Com isso, o preço de unidades deste ano são bem maiores do que os das anteriores. No caso da versão com motor 1.0, a diferença é de 34,6%, entre os R$ 18.952 de um ELX 2011 e os R$ 25.505 de um 2012, chamado de Attractive.

Ambos são são boas pedidas. O mais antigo, no caso de contas mais apertadas; e o mais novo para quem pode gastar um pouco mais.

Se quiser uma versão mais potente, com motor 1.4, o melhor investimento é na opção de 2013. Além do projeto mais moderno, estas unidades já saem de fábrica com freios ABS e airbags dianteiros. E a diferença de preços nem é tão grande.

Em média, segundo a Fipe, a versão Attractive custa R$ 28.918. O valor é 4,8% maior do que um exemplar 2012 e 19,7% mais alto do que um 2011, ainda da geração anterior.

Toyota Corolla

Para o Corolla, o ano 2012 tem conjunto atraente (Foto: Divulgação) Para o Corolla, o ano 2012 tem conjunto atraente (Foto: Divulgação)

Para o Corolla, o ano 2012 tem conjunto atraente (Foto: Divulgação)

O aumento de preços do Corolla costuma seguir um padrão. As versões analisadas, XEi automática e XLi 1.8 manual, não possuem diferenças de preço superiores a 10% ao ano entre 2009 e 2013.

O maior índice, justamente de 10%, aparece na versão mais barata, XLi, em 2012, quando o sedã passou por uma reestilização. O modelo 2012, aliás, que sai, em média, por R$ 43.754, é o melhor entre os de 4 a 8 anos.

Na intermediária XEi, há uma outra novidade além do facelift. Desde o modelo 2011, esta versão é oferecida com motor 2.0 em vez de 1.8. Ainda assim, o melhor é escolher uma 2012, avaliada em R$ 50.651, segundo a Fipe.

Vale lembrar que unidades do Corolla de 2002 a 2014 podem estar envolvidas no recall dos "airbags mortais", como ficou conhecido o caso do defeito neste equipamento fornecido pel Takata. Para saber se o carro está no recall, consulte o chassi no site da montadora (www.toyota.com.br/servicos/recall).

Se estiver, ele deve passar pelo conserto gratuitamente e a qualquer momento, independente da data do início do chamado.

Honda Civic

Honda Civic não tem modelo específico que se destaque (Foto: Divulgação) Honda Civic não tem modelo específico que se destaque (Foto: Divulgação)

Honda Civic não tem modelo específico que se destaque (Foto: Divulgação)

No caso do Civic, não há um ano específico para garantir uma melhor compra de um usado de até 8 anos. Como o sedã trocou de geração em 2012, a diferença de preços é considerável. Se o orçamento estiver mais limitado, restringindo ao modelo mais antigo, a versão topo de linha mais rentável é a 2010, que custa, em média, R$ 40.432, segundo a Fipe. Na versão intermediária, uma unidade 2011, de R$ 40.540, é uma melhor pedida.

Na nova geração, unidades 2013 se destacam nas duas versões. Elas são, em média, 4,4% mais caras do que as similares do modelo 2012. Um EXS (mais completo) sai por R$ 55.867, enquanto o intermediário LXL custa R$ 50.259.

Vale lembrar que unidades do Civic fabricadas de 2001 a 2008 podem estar envolvidas no recall dos "airbags mortais", como ficou conhecido o caso do defeito neste equipamento fornecido pel Takata. Para saber se o carro está no recall, consulte o chassi no site da montadora (www.honda.com.br/suaseguranca).

Se estiver, ele deve passar pelo conserto gratuitamente e a qualquer momento, independente da data do início do chamado.

Toyota Hilux

Toyota Hilux 2012 tem conjunto atraente e preço mais acessível (Foto: Divulgação) Toyota Hilux 2012 tem conjunto atraente e preço mais acessível (Foto: Divulgação)

Toyota Hilux 2012 tem conjunto atraente e preço mais acessível (Foto: Divulgação)

Curiosamente, quando a Hilux recebeu importantes mudanças, em 2012, o aumento nos preços foi menor do que em anos anteriores, sem novidades.

Um exemplar deste ano, com visual repaginado e controles de tração e estabilidade, sai, em média, por R$ 105.847 na versão topo de linha, SRV automática. O valor é 8,8% superior aos R$ 97.315 de uma picape ano 2011.

Já essa, de 2011, é 10,4% mais cara do que uma 2010, avaliada pela Fipe em R$ 88.166. Apesar da considerável diferença em valores, é preferível apostar em unidades 2012, com mais equipamentos de segurança e visual menos defasado.

Fiat Uno

Uno 2013 já conta com ABS e airbags (Foto: Divulgação) Uno 2013 já conta com ABS e airbags (Foto: Divulgação)

Uno 2013 já conta com ABS e airbags (Foto: Divulgação)

Entre 2011 e 2013, duas gerações completamente distintas do Uno coexistiram. A primeira, na época, já se chamava Mille, e era basicamente a mesma desde 1984. Neste caso, a versão 1.0 Economy sofre pouca variação de preços, de acordo com a tabela Fipe.

Por exemplo, uma unidade 2013 (das últimas a serem produzidas) sai, em média, por R$ 16.144, só 4,3% mais do que uma 2012, de R$ 15.484. Não há dúvidas de que o carro mais novo é um melhor negócio, mesmo porque o Mille saiu de linha quando airbags e ABS passaram a ser obrigatórios: ou seja, ele nunca ofereceu esses equipamentos de segurança.

Na segunda geração do Uno, lançada em 2010, como linha 2011, também há vantagens em escolher a mais atualizada. Em 2013, todas as versões ganharam freios ABS e airbags dianteiros, obrigatórios no ano seguinte. A variação de preços, no entanto, é de menos de 9% na versão Way 1.4, que sai por R$ 26.828, contra R$ 24.639 da 2012.

Chevrolet S10

Em 2013, Chevrolet S-10 já era da nova geração (Foto: Divulgação) Em 2013, Chevrolet S-10 já era da nova geração (Foto: Divulgação)

Em 2013, Chevrolet S-10 já era da nova geração (Foto: Divulgação)

No caso da picape S10, a variação de preços é proporcional ao salto tecnológico que o produto teve em 2012. A nova geração trouxe motores mais modernos, condução muito melhor e uma carroceria com mais espaço. Os preços, claro, acompanharam as evoluções.

Mesmo assim, vale investir mais e adquirir um exemplar da nova geração. Na antiga, a versão topo de linha Executive 2.4 flex modelo 2011 custa, em média, R$ 45.878. Uma LTZ (versão equivalente) 2013 sai por R$ 57.105, ou 24,5% a mais.

Na motorização diesel, a S10 antiga não tinha opção de câmbio automático. Por isso, uma Executive 4x4 2012, que custava em média R$ 61.118, saltou 24%, para R$ 75.811 na LT 4x4 2013, com motor menor e mais potente.

Volkswagen Fox

Volkswagen Fox 2013 tem pacote mais completo (Foto: Divulgação) Volkswagen Fox 2013 tem pacote mais completo (Foto: Divulgação)

Volkswagen Fox 2013 tem pacote mais completo (Foto: Divulgação)

As mudanças mais importantes sofridas pelo Fox entre 2009 e 2013 foram um "facelift" no fim de 2009 (quando passou a ser vendido como modelo 2010) e a adoção de airbags e ABS de série em 2013.

Nos dois casos, não houve uma variação considerável de preços. De acordo com a tabela Fipe, uma unidade 2013 da versão 1.6 Prime custa, em média, R$ 31.250, só 6,1% mais cara do que a do ano anterior, sem os itens de segurança.

Mesmo na versão mais básica, com motor 1.0 (e sem “sobrenome”), o Fox 2013 é mais vantajoso. Ele custa 7,4% mais do que um 2012. Em valores, isso significa R$ 27.926 contra R$ 25.992. Por outro lado, o aumento na comparação com um modelo 2009 é grande, de 41,9%, ou mais de R$ 8 mil de diferença.

Fiat Strada

Fiat Strada Trekking 2011 tem bom custo-benefício (Foto: Divulgação) function interacaoNoticias(div) { var divHide = div == '#enviaEmail' ? '#comentarios' : '#enviaEmail'; var divShow = div == '#enviaEmail' ? '#enviaEmail' : '#comentarios'; if (!$(divHide).is(":hidden")) { $($(divHide)).hide(); } if ($(divShow).is(":hidden")) { $(divShow).show(); } else { $(divShow).hide(); } }
Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001