14 de fevereiro de 2017 às 12h34m
Carros seminovos: veja o melhor ano para os 10 mais buscados

Preço do mais novo pode não justificar investimento extra, mas mudanças de geração ou acréscimo de equipamentos apontam melhor negócio.

e os preços dos carros novos parecem (e muitas vezes são) proibitivos, a solução pode ser a compra de um veículo seminovo, com até 3 anos de uso e quilometragem até a casa dos 30 mil km.

Mas qual escolher? Será que, quanto mais recente, melhor? Nem sempre. Para fazer a escolha certa, é preciso levar em conta se houve mudanças na linha, novas versões, reestilizações e aumento -ou até redução- na oferta de equipamentos.

O G1 mostra abaixo (em ordem alfabética) qual o melhor ano/modelo para a compra dos carros mais buscados em 2016 nos principais sites de vendas de usados do país: Mercado Livre, OLX e Webmotors.

A avaliação é baseada no histórico de mudanças dos modelos e no valor segundo a tabela Fipe de fevereiro.

Chevrolet S10

Chevrolet S10 (Foto: Divulgação) Chevrolet S10 (Foto: Divulgação)

Chevrolet S10 (Foto: Divulgação)

A picape da GM passou por uma profunda reestilização na linha 2017. Antes disso, não teve grandes mudanças nos anos anteriores. Até por isso, a variação de preços entre as S10 seminovas é próxima.

Segundo a tabela da Fipe, a versão topo de linha LTZ diesel 4x4 automática 2014 custa, em média, R$ 103.764. É 9,2% mais barata do que os R$ 113.321 de um modelo do ano seguinte. Por fim, uma S10 2016 nesta configuração sai na faixa de R$ 127.775, ou 12,8% mais cara.

Porém, quando equipado com motor flex, um exemplar 2016 vale mais a pena, já que custa apenas 3,5% mais do que um 2015: R$ 76.326 contra R$ 73.763. Por outro lado, eles são bem mais caros do que um 2014. Mas aí há uma justificativa. O modelo mais antigo tem motor 2.4 de 147 cavalos, bem menos potente do que o 2.5 de 206 cv dos anos 2015 e 2016, que continua na linha.

 

Fiat Palio

Fiat Palio (Foto: Divulgação) Fiat Palio (Foto: Divulgação)

Fiat Palio (Foto: Divulgação)

O carro mais vendido do Brasil em 2014 teve poucas mudanças de lá pra cá. A principal delas foi em 2015, com o ganho de equipamentos na opção mais barata, Attractive. Ela passou a ter vidros e travas elétricos. O preço médio, no entanto, ficou apenas 6,6% mais caro, chegando a R$ 30.420, contra R$ 28.541 no modelo 2014. A diferença para o ano seguinte, porém, é maior, de 15,4%. O Palio 2016 custa, segundo a Fipe, R$ 35.111.

Fiat Uno

Fiat Uno (Foto: Divulgação) Fiat Uno (Foto: Divulgação)

Fiat Uno (Foto: Divulgação)

A linha 2015 do Uno passou pela primeira reestilização de geração no final de 2014. Junto com o visual atualizado, o compacto ganhou acabamento mais caprichado e a possibilidade de ter start-stop (que desliga o motor quando o carro para em semâforos ou no trânsito) e câmbio automatizado.

As grandes mudanças refletiram nos preços. A versão Evolution 2015, com start-stop, custa 24,8% mais do que a versão equivalente em 2014, chamada Economy, de acordo com a tabela Fipe. Em valores, isso significa R$ 34.596 ante R$ 27.718.

A versão Way com motor 1.0 traz diferença menor nos preços. Considerando o modelo 2014, o preço médio é de R$ 26.399. No modelo 2015, o valor é 11% mais alto, chegando a R$ 29.321. Por fim, a versão 2016, a última antes da mais recente reestilização, sai por R$ 34.132, ou 16,4% a mais do que no modelo anterior.

Ford New Fiesta

Ford Fiesta (Foto: Divulgação) Ford Fiesta (Foto: Divulgação)

Ford Fiesta (Foto: Divulgação)

O Ford New Fiesta começou a ser produzido no Brasil em 2013, já como linha 2014. Pouco depois, o Fiesta RoCam deixou de ser vendido por aqui. Desta forma, dos últimos 3 anos/modelo, há apenas unidades da nova geração, que também não sofreram alterações significativas neste período.

Na tabela Fipe, as versões 2015 são as mais atraentes.

Considerando a básica, 1.5, o modelo sai, em média, R$ 37.425, ou 6,7% mais caro do que o 2014, de R$ 35.073. Já na comparação com um veículo 2016, a diferença é de 13,4%, chegando a R$ 42.476.

A variação é ainda maior na versão topo de linha, Titanium Plus. Um exemplar 2014 tem tabela média de R$ 45.254, 8,6% mais em conta do que os R$ 49.141 de um modelo 2015.

Por fim, um Fiesta Titanium Plus 2016 fica, em média, R$ 57.036, ou 16,1% mais caro do que um do ano anterior.

Honda Civic

Honda Civic (Foto: Divulgação) Honda Civic (Foto: Divulgação)

Honda Civic (Foto: Divulgação)

Antes de ganhar a nova geração, em agosto deste ano, o Civic teve poucas mudanças nas linhas anteriores. Em 2014, a versão intermediária LXR com câmbio automático passou a ter motor 2.0, de 155 cv. Segundo a tabela Fipe, o valor médio é de R$ 57.957. No ano/modelo seguinte, ganhou nova grade dianteira e rodas maiores. Mas o preço médio subiu 10,5%, para R$ 64.020.

Por fim, no modelo 2016, o preço médio aumenta mais 9,9%, para R$ 70.347.

Então, se o orçamento está mais restrito, vale procurar uma unidade 2014, que não tem mudanças consideráveis e é a mais em conta.

Toyota Corolla

Toyota Corolla (Foto: Divulgação) Toyota Corolla (Foto: Divulgação)

Toyota Corolla (Foto: Divulgação)

Líder entre os sedãs médios, o Corolla ganhou uma geração completamente nova na linha 2015. Até por isso, há um “abismo” entre os valores do modelo 2014 para o 2015. Usando como referência a versão intermediária XEi (que tem câmbio automático), a variação é de 26,4%, segundo a Fipe.

No modelo 2014, o valor médio é de R$ 58.002, contra R$ 73.311 de uma unidade 2015. Tamanha diferença pode fazer com que o comprador de uma das gerações sequer cogite adquirir a outra.

Porém, se a escolha for pela nova, vale a pena investir um pouco mais e comprar uma unidade 2016 que, em média, é apenas 7% mais cara que a 2016, saindo por R$ 78.414.

Toyota Hilux

Toyota Hilux (Foto: Divulgação) Toyota Hilux (Foto: Divulgação)

Toyota Hilux (Foto: Divulgação)

A picape foi totalmente renovada no final de 2015, já como linha 2016. Ela veio acompanhada de melhorias no motor turbodiesel, que diminuiu de 3 para 2.8 litros, mas aumentando a potência e a oferta de torque.

Porém, nem mesmo o salto tecnológico fez os preços subirem muito. Segundo a Fipe, a versão SRV ficou apenas 9,2% mais cara na linha 2016 (R$ 144.120), comparando com a 2015 (R$ 132.030).

Volkswagen Gol

Volkswagen Gol (Foto: Divulgação) Volkswagen Gol (Foto: Divulgação)

Volkswagen Gol (Foto: Divulgação)

Com exceção do modelo atual, as maiores mudanças recentes do Gol foram na linha 2015, lançada em abril de 2014, quando o hatch ficou mais equipado.

A versão de entrada Trendline, por exemplo, ganhou direção hidráulica, chave canivete, encosto dos bancos traseiros para os 3 ocupantes e iluminação no porta-malas. Mesmo com a inclusão desses novos itens de série, a diferença de preços entre as versões 1.6 de 2014 e 2015, é pequena: apenas 3,2%, segundo a tabela Fipe. A opção mais nova sai por R$ 31.588 contra R$ 30.600 da mais antiga.

A versão Rallye, a mais cara, sofreu mudanças ainda maiores. Até a linha 2014, era equipada com motor 1.6 de 104 cv. De 2015 em diante, ganhou o novo 1.6 de 120 cv.

A variação de preços entre os ano/modelo justifica a mudança no propulsor. De 2014 para 2015 foi de 18,2%, passando de R$ 35.474 para R$ 41.929. Na comparação entre 2015 e 2016, a diferença é um pouco menor, de 15%. Por isso, entre os 3 anos do Rallye, vale a pena apostar no 2015.

Volkswagen Saveiro

Volkswagen Saveiro (Foto: Divulgação) Volkswagen Saveiro (Foto: Divulgação)

Volkswagen Saveiro (Foto: Divulgação)

A Saveiro passou a ter opção de cabine dupla apenas no ano/modelo 2015, e nas versões mais caras. A topo de linha Cross também ganhou novo motor, o 1.6 16V de 120 cv.

Segundo a Fipe, ela custa, em média, R$ 51.298. O modelo 2016 é 11% mais caro, e sai por R$ 56.932. A não ser por um veículo mais novo, não justifica tamanha diferença.

Se a exigência é um veículo para o trabalho, vale mais a pena investir em uma unidade mais básica, no ano/modelo 2015. A opção de entrada, Startline, com cabine simples, sai, segundo a Fipe, por R$ 30.658. É apenas 3,4% mais cara do que a versão básica 2014, chamada apenas de 1.6. Uma Startline modelo 2016 custa R$ 35.528, ou 15,9% mais do que uma no modelo anterior.

Volkswagen Golf

Volkswagen Golf (Foto: Divulgação) Volkswagen Golf (Foto: Divulgação)

Volkswagen Golf (Foto: Divulgação)

A melhor escolha para o Golf depende das prioridades do dono: o modelo 2014 é importado da Alemanha e traz motor 1.4 turbo de 140 cv, suspensão independente nas rodas traseiras e câmbio de dupla embreagem. Custa, segundo a Fipe, em média, R$ 71.379 na versão Highline.

No modelo seguinte, o Golf passou a ser importado do México, mas manteve as características técnicas. O preço de um exemplar 2015, no entanto, é 8,7% maior, e justifica o investimento por ser um veículo mais novo.

Por fim, o modelo mais recente, 2016, é produzido no Brasil. Há vantagens e desvantagens. Apesar de ter motor flex (os demais só bebem gasolina) de 150 cv, este Golf tem suspensão traseira por eixo de torção e câmbio automático convencional, soluções mais simples. E o preço é 19,7% maior do que o 2015, chegando a R$ 92.810, segundo a Fipe.


Fonte: autoesporte.com

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001