12 de maio de 2016 às 05h50m
Hortas Sociais do Conjunto Ceará e Granja Portugal terão primeira colheita no fim de maio

Idosos dos Cras do Genibaú, Conjunto Ceará e Granja Portugal passarão a integrar atividades nos equipamentos

Hortas produzem uma variedade de seis hortaliças (Foto: Marcos Moura)

As Hortas Sociais de Fortaleza consolidam seus primeiros resultados. Os equipamentos, inaugurados pela Prefeitura de Fortaleza no Conjunto Ceará, em novembro de 2015, e na Granja Portugal, em março deste ano, estão com a colheita prevista para o fim de maio deste ano. Com investimento de cerca de R$ 500 mil e R$ 500 mil de custeio, as hortas fazem parte do Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa do Município de Fortaleza, dentro da iniciativa “Fortaleza – Cidade Amiga do Idoso”, e buscam desenvolver capacidades e promover a segurança alimentar de idosos da cidade.

Segundo Sérgio Gomes, titular da Coordenadoria de Políticas do Idoso da Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH), “essa experiência é única no Brasil. O sentimento aqui é envolver agricultura familiar urbana, segurança alimentar, o sentimento dos quintais produtivos, mas principalmente dar um complemento para esses idosos em situação de vulnerabilidade com algo que seja relacionado ao bem-estar dele, que controle a hipertensão, a diabetes, a depressão”.

Os equipamentos produzem uma variedade de seis hortaliças: quiabo, tomate-cereja, couve-manteiga, pimenta-de-cheiro, pimentão e cheiro verde. Cada estufa gera em torno de sete toneladas de alimento por ciclo, que dependem das hortaliças plantadas e podem ter duração média de dois a três meses para serem colhidas. O plantio foi feito por uma equipe de quatro profissionais, monitorada, por meio de parceria, pelos cursos de Nutrição e Agronomia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Somente na Horta Social do Conjunto Ceará, são 3 mil maços de cheiro verde e três toneladas de quiabo. “Nós inauguraremos nossa terceira estufa no fim de maio, então vamos dobrar nossa produção. A capacidade das três estufas, quando estiver a pleno vapor, vai girar em torno de 20 toneladas por ciclo”, disse Sérgio Gomes. A ideia é atender mais de mil famílias com o projeto.

No período da colheita, também começa a segunda etapa do projeto, que é a inserção dos idosos atendidos pelos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) do Genibaú, Conjunto Ceará e Granja Portugal nas atividades desenvolvidas na Horta Social de Fortaleza, ao longo de um ano. Os idosos cadastrados poderão participar de atividades dentro das hortas, como o manejo, colheita e acompanhando geral. “Nós preferimos dar, primeiramente, sustentação ao trabalho da Secretaria de Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, para reforçar a intersetorialidade. Eles vão ser orientados a como fazer o desbaste, arrancando algumas folhagens das plantas, vão trabalhar no remanejamento do canteiro, vamos falar muito sobre agricultura familiar urbana, quintal produtivo, ensinar a fazer o que estamos fazendo aqui em casa. O trabalho vai ser nesse sentido”, explicou Sérgio Gomes. A iniciativa pode ser renovável por mais quatro anos.

Tudo que for produzido pelo equipamento irá para a Bodega Solidária, equipamento que será inaugurado junto à Horta Social do Conjunto Ceará e que receberá doações de supermercados e pessoas físicas para famílias e idosos em situação de vulnerabilidade social.


Fonte: Prefeitura Municipal de Fortaleza

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001