19 de abril de 2016 às 09h25m
Vicente Pinzon recebe audiência pública do Comitê pela Prevenção de Homicídios na Adolescência

Dando continuidade às audiências públicas nos bairros para discutir homicídios na adolescência, o Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência realiza nesta terça-feira (19 de abril) uma audiência territorial no bairro Vicente Pinzon, em Fortaleza. O encontro será a partir das 18 horas, na Escola de Ensino Profissionalizante Maria Ângela Silveira Borges e deve reunir moradores de bairros circunvizinhos.


Essa é a quinta audiência das 13 que serão realizadas - na capital e no interior - com o objetivo de ouvir das pessoas a opinião acerca do que aproxima e o que poderia afastar meninos e meninas da violência que os leva ou a matar ou a morrer, a partir das realidades onde vivem. O Comitê tem como presidente o deputado estadual Ivo Gomes (PDT) e, como relator, o deputado Renato Roseno (PSOL).

 

Das audiências territoriais já realizadas - no Bom Jardim, na Barra do Ceará e no Jangurussu - muitas propostas apontam para as áreas de cultura/lazer (com a oferta de serviços, apoio a projetos sociais já existentes, dentre outras propostas) e educação (da qualificação dos profissionais da escola para mediarem conflitos, até a abertura das escolas à comunidade nos finais de semana) como instrumentos importantes para o não envolvimento em atos violentos. Outro tema recorrente tem sido a relação entre os agentes da segurança pública e as comunidades, marcada por violência e desconfiança.

 

Dados – Informações do Sistema de Informação sobre Mortalidade/SIM (Secretaria Municipal de Saúde/Célula de Vigilância Epidemiológica) mostram a escalada da violência letal na adolescência em Fortaleza, em uma proporção que supera os homicídios entre adultos: em 2000, foram assassinados na capital cearense 95 pessoas com idades entre 10 e 19 anos. Passada uma década, o número já era 312, chegando a 600 em 2014 e a 429 em 2015.

 

15% dos bairros de Fortaleza concentram 44% dos homicídios. O risco de um adolescente do sexo masculino morrer assassinado em Fortaleza em 2015 foi 32 vezes maior do que o de uma adolescente do sexo feminino.

 

A maior parte das crianças/adolescentes assassinados em 2015 está na faixa etária de 15-19 anos (94%) e foi morta por disparo de arma de fogo (93%); apenas 6% das vítimas de homicídios cursavam o ensino médio, apesar da maioria, como descrito, ter 15 anos ou mais.

 

Sobre o Comitê – O Comitê é uma iniciativa da Assembleia Legislativa do Ceará, em parceria com o Governo do Estado do Ceará e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) criada com o objetivo de compreender o fenômeno da violência entre os jovens – com foco na faixa etária de 10 a 19 anos – para elaborar propostas de políticas públicas que apontem para a prevenção e a redução de homicídios cometidos por adolescentes e contra adolescentes no Ceará.

 

Serviço – Audiência Pública/ Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência

Data: 19 de abril, a partir das 18 horas

Local: Escola de Ensino Profissionalizante Maria Ângela Silveira Borges (Av. César Cals, 1254) 


Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001